Educação Financeira para todos

Assim como o devedor, a parte que lhe concede o empréstimo também tem interesse em renegociar dívidas em atraso. E é isto que você deve ter em mente quando pensar na renegociação.

Renegociar é a melhor saída

A maioria dos endividados está nesta situação por um motivo justificável: perdeu o emprego, foi surpreendido por uma emergência ou, simplesmente, não soube se planejar.

Apesar das vantagens da renegociação, muitos consumidores só procuram esta alternativa em última instância. Muitas instituições aceitam renegociar prazos como forma de garantir que o consumidor saia da inadimplência e retome o pagamento de suas prestações.

Dicas na hora de renegociar
Entre em contato com a instituição e informe o seu problema: tente evitar que sua dívida continue crescendo. Feito isto, peça um extrato detalhando exatamente qual é o seu saldo devedor, juros e multa por atraso.

Avalie a sua situação financeira e defina prioridades de renegociação. É provável que algumas prestações estejam mais pesadas que outras, portanto, comece a sua renegociação por elas. Não se iluda, você precisa demonstrar ao credor que está comprometido em quitar sua dívidas, e que está preparado para fazer os sacrifícios necessários. Caso contrário, o empenho de renegociação perde força, pois podem não acreditar na sua intenção de sair do vermelho.

Defina uma quantia mensal da qual pode dispor e procure negociar uma forma de alongar o prazo de pagamento da dívida, ou até mesmo reduzir os juros cobrados, de forma que o valor mensal a ser quitado não ultrapasse o que você pode arcar.

Renegociar é a melhor saída

Compartilhar