Atualização de privacidade

Lançamos nosso Centro de Privacidade e atualizamos o Aviso de Privacidade. Saiba mais. >

Educação Financeira para todos

Ter o nome incluído nesses cadastros de forma imprópria e ficar com o nome sujo na praça é um problema que pode acontecer. O caminho, neste caso, é procurar órgãos de defesa do consumidor para obter uma correção ou reparação.

Inclusão indevida, o que fazer?

Na maior parte das vezes, as pessoas ficam sabendo destas inclusões da pior maneira possível. No momento em que o consumidor busca obter crédito em algum varejista ou banco, tem o pedido recusado, muitas vezes de forma constrangedora.

O que fazer?
Ao tentar realizar uma compra parcelada em um grande varejista, por exemplo, o funcionário da loja consultará algum cadastro e rapidamente ficará sabendo que o consumidor tem seu nome comprometido. Se o funcionário se recusar a fornecer o nome da empresa que registrou a queixa da dívida em atraso, será preciso procurar diretamente a companhia responsável pela elaboração da lista.

Para limpar o nome, a primeira providência é tentar uma solução amigável, procurando o suposto credor, explicando com educação a situação e cobrando uma solução.

Outra possibilidade é encaminhar uma notificação extrajudicial demonstrando que nenhuma dívida deixou de ser paga. Nesse documento, o consumidor deve solicitar a exclusão da lista suja e o envio de cópia da documentação que a motivou. É possível fazer isso por meio de um telegrama, com aviso de recebimento, nos Correios.

Nos dois casos, o consumidor deve dar um prazo para a empresa realizar a alteração. Após esse período, é preciso verificar junto à empresa responsável pela elaboração da lista de maus pagadores se houve a exclusão. Os órgãos de defesa do consumidor poderão auxiliá-lo em todo esse processo.

Inclusão indevida, o que fazer?

Compartilhar