Educação Financeira para todos

Ao longo da vida, comemoramos várias vitórias que vão compondo o nosso patrimônio. Tudo é conquistado com bastante trabalho e planejamento. Portanto, protegê-lo é nossa obrigação, não apenas para evitar perdas financeiras, como também garantir a segurança de nossos familiares, caso algo inesperado aconteça.

Proteção do Patrimônio

Existem serviços criados justamente para esta finalidade: são os seguros, que podem ser considerados "despesas de proteção", porque representam um gasto a mais no orçamento, porém com a finalidade de dar garantias na ocorrência de uma situação de risco, adversa (roubo do carro, problema de saúdo, perda de emprego, morte de um familiar etc.). 

Tente refletir sobre os momentos da sua vida em que você passou algum tipo de dificuldade financeira. Procure avaliar o que o levou a essa situação. O mais provável é que você tenha sido surpreendido por um evento extraordinário, como por exemplo, a perda do emprego, algum problema de saúde, teve sua casa assaltada etc., o que acabou afetando seu orçamento.

Reveja seu planejamento
Diante desta constatação, fica fácil ver que, se você quiser evitar novas surpresas, terá que rever o seu planejamento financeiro de forma a considerar esta nova categoria de gastos, montando uma reserva de emergência. Existe, contudo, outra forma de se preparar para estes gastos e se proteger do impacto que eles têm no seu orçamento. Como? Contratando um seguro.

Afinal, é exatamente esse o objetivo dos seguros: protegê-lo do impacto financeiro que um determinado evento futuro (que pode ou não acontecer) pode lhe causar. A este evento futuro, que pode levá-lo a uma situação de desequilíbrio financeiro e do qual você quer se proteger, damos o nome de risco. 

Hoje em dia já é possível encontrar seguros para a cobertura dos mais variados riscos, como por exemplo, o risco de ter seu carro roubado, o de sofrer um acidente e não poder trabalhar por vários meses, o de perder o emprego e não conseguir manter o pagamento das prestações em dia ou, o pior deles, o de vir a falecer e deixar sua família desamparada.

Compartilhar