Educação Financeira para todos

A expectativa de vida do brasileiro cresce a cada ano. Se a boa notícia é que viveremos por mais tempo (e com mais qualidade), surge a seguinte questão: como se organizar para aproveitar essa fase da melhor forma possível?

Veja como iniciar o planejamento para a aposentadoria

Defina antes o seu propósito de vida
Para dar o primeiro passo, tente responder à seguinte pergunta: qual o seu propósito de vida? O que você pretende alcançar na sua velhice? Este será o momento de encontrar atividades que darão a você tanto ou maior prazer do que encontrou ao longo da vida profissional.

Abrir o próprio negócio, viver no campo, viajar o mundo, velejar, curtir os netos. Seja qual for o objetivo, qualquer escolha irá exigir de você um planejamento financeiro mínimo até a desejada aposentadoria.

Por isso, é importante ter claro que, se o seu desejo for continuar na ativa e abrir uma pousada na Bahia, por exemplo, vai precisar de um esforço financeiro maior do que alguém que deseja se dedicar ao sonho de morar em um sítio. O estilo de vida no futuro vai ditar os seus próximos passos daqui em diante.

De quanto vou precisar para viver da maneira que pretendo?
A Previdência Oficial não deve ser sua única opção. Para garantir tranquilidade no futuro, é preciso constituir uma boa reserva financeira. O caminho? Juntar dinheiro!

Calcule por quanto tempo vai precisar usufruir dessa poupança. Se, por exemplo, o seu desejo for se aposentar aos 65 anos de idade, sem dar continuidade a atividades remuneradas, vai precisar poupar dinheiro e constituir uma reserva suficiente para viver de renda por pelo menos 25 anos.

É importante reciclar sempre os seus conhecimentos de Educação Financeira e respeitar as diferentes etapas da vida e o impacto de cada uma delas em seu orçamento. Por volta dos 60 anos, acabam pesando mais os gastos com saúde, visando garantir qualidade de vida no presente e no futuro. Considere também despesas com viagens, diversão, benefícios que não são mais oferecidos pela empresa onde você trabalhou e cuidados com a aparência.

Por outro lado, na aposentadoria há despesas que caem e assim aliviam o orçamento do mês, como os gastos com filhos, agora crescidos. Além disso, depois dos 60 anos há diversas leis que permitem gratuidade nos transportes, pagamento de meia-entrada em cinemas, teatros, shows etc.

Poupar para o futuro
O planejamento financeiro para a aposentadoria se refere a um objetivo de longo prazo, o que requer disciplina e acompanhamento constante, para possíveis ajustes ao longo do caminho.

Liste despesas com moradia, alimentação, saúde, lazer, transporte e o que mais julgar importante. Esses valores mensais deverão ser multiplicados pelo tempo que vai depender dessa renda (no nosso exemplo, 25 anos). Esse será o seu montante estimado para uma aposentadoria tranquila.

Reveja seu orçamento pessoal para conseguir encontrar espaço e investir pelo menos 10% da sua renda mensal. Se este valor não for suficiente para atingir os seus objetivos (tudo vai depender da sua idade ao iniciar esse processo), complemente com renda extra, como 13º salário e bonificações.

Conte sim com a Previdência Oficial, pois apesar de não ser possível sobreviver apenas desta renda, ela poderá compor uma parte significativa do seu orçamento no futuro. Se a sua empresa não possui programa de Previdência Privada como forma de reter talentos, avalie buscar uma estratégia de investimento que o ajude a atingir seus objetivos.

Invista tempo em sua Educação Financeira e estude opções de baixo risco que rendam mais do que a inflação para que seu dinheiro não perca poder de compra. Em busca de ganhos maiores, opte por diversificar suas aplicações. Vale lembrar: investimentos de longo prazo permitem assumir um pouco mais de risco. Assim, qualquer “perda” poderá ser recuperada ao longo do tempo.

Veja como iniciar o planejamento para a aposentadoria

Compartilhar