Educação Financeira para todos

Para manter seu orçamento sob controle, além de monitorar seus gastos (relacionando-os mensalmente na sua planilha), você deve observar a forma como consome. Pense e responda: você sempre arruma uma justificativa para acabar gastando mais do que deve?

Fuja das desculpas

Algumas desculpas são bem comuns e você pode evitá-las. Veja só:

  • todo mundo comprou!– cuidado com o efeito manada, que significa seguir o comportamento de outras pessoas, acreditando fazer um bom negócio. Por exemplo: você está no supermercado, anunciam a promoção de uma TV, vários consumidores se aglomeram para comprá-la e você, no embalo, acaba fazendo o mesmo, sem a menor necessidade de ter um novo aparelho.
  • eu mereço!– é bem comum, ao ver algo na vitrine que se quer muito, soltar a frase “vou comprar porque eu mereço”, apenas para justificar a decisão de gastar mesmo quando seu orçamento não permite. Saia da loja, dê uma volta, reflita sobre suas reais necessidades.
  • só desta vez!– como em uma dieta, onde sempre se agenda o início do regime para a próxima segunda-feira, é natural deixar para depois o hábito de combater as compras por impulso. Você compra uma coisa aqui e ali no sábado, jurando que na próxima semana tudo será diferente. Posicione-se!
  • estou com pressa– evite fazer compras quando estiver sem tempo para isso. Seja no supermercado ou no shopping, é indicado levar a lista do que precisa comprar, pesquisar opções de produtos, preços e condições de pagamento. Em datas comemorativas, procure resolver tudo com antecedência.
  • pode ser útil– você vê um produto em promoção, acha o preço bastante convidativo e acaba comprando, mesmo sem precisar. Acha que está fazendo um tremendo negócio e que, um dia, vai acabar usando aquilo.
  • gosto de presentear– o fato de estar gastando mais do que deve com outras pessoas não justifica seus abusos de consumo. Seja criterioso, observe bem quanto você tem disponível antes de sair às compras.
  • é só parcelar– use o crédito de forma responsável. Lembre-se: você pode comprar hoje e pagar depois, parcelar sempre que possível, mas tendo consciência de que deve adquirir o que for mesmo necessário, e que terá esses gastos a incluir no seu orçamento nos próximos meses.
  • preciso investir na minha imagem– querer se vestir bem para causar boa impressão no trabalho é positivo, desde que haja critério. Você não precisa comprar três pares de sapato da mesma cor, pois o efeito vai ser o mesmo. Controle as compras por impulso.
  • faço tudo pelos meus filhos– nada de sair comprando o mundo para os filhos, justificando que eles merecem sempre o melhor. Você precisa ser o exemplo em casa, para que possa criar adultos financeiramente responsáveis no futuro. Estabeleça limites, aprenda a dizer não quando necessário.
  • dinheiro extra eu posso gastar– não compre algo já contando com a comissão que deve receber no próximo mês ou com o aumento de salário que imagina ter. Espere até o fato se concretizar: se não entrou na sua conta, ainda não é seu! E mais: que tal criar uma estratégia de poupança para este dinheiro extra, ou então regularizar algumas pendências financeiras?
  • estou com fome!– evite sair às compras de supermercado com fome. É fato: você acaba gastando muito mais do que deveria.
  • devo relaxar– não adote o hábito de fazer compras como terapia de combate ao estresse. Você merece relaxar sim, mas que tal optar por medidas mais econômicas, saudáveis e até mais prazerosas?
Fuja das desculpas

Compartilhar