Seu assessor financeiro pessoal
Siga o Finanças Práticas
FacebookTwitterYouTube
Finanças da Família: hora de planejar!

Finanças da Família: Hora de planejar!

Família unida planeja unida! Cultive o hábito de definir objetivos com seus familiares, ouvindo suas ideias, de forma a envolvê-los no orçamento doméstico. Filhos podem participar! Pensando juntos, vocês ganham motivação extra para realizar sonhos. Confira:

promo

Assista ao Fórum de Educação Financeira 2014
Assista o webcast do Fórum de Educação Financeira onde foram discutidas as necessidades de educação financeira para pessoas não-bancarizadas ou com limitada bancarização.
Assista ao webcast

Sociedade

Sociedade: como atingir um bom resultado?
Se você já tem uma empresa ou sonha com a possibilidade de montar um negócio próprio, deve, vez por outra, cogitar a ideia de ter o apoio de um sócio. Afinal, desta forma as despesas e as dores de cabeça são divididas, certo? Mas, na prática, os fatos não ocorrem sempre desta forma.

Apesar das vantagens aparentes de se ter um sócio, você não deve se deixar levar pela empolgação. É preciso estar preparado para ter um sócio. Afinal, uma sociedade pode ser comparada a um casamento. Em ambos os casos, para que tudo corra bem é preciso, além da afinidade, muitos objetivos conjuntos.

Não se deixe levar pela emoção
Deixe o emocional de lado, principalmente se o candidato a sócio for seu parente ou grande amigo. Lembre-se: negócios e amizade são aspectos bastante distintos e, quando misturados, podem causar certo mal estar se não houver preparo para lidar com a situação.

Veja alguns aspectos a considerar na hora de escolher seu parceiro nos negócios e colher bons resultados:

  • Procure alguém que pense como você
    Nunca ofereça sociedade a alguém que não está disposto a dedicar o mesmo esforço que você ao sucesso do negócio. Isso gera desgaste e frustração.
  • Vocês se complementam?
    A busca por competências que fogem à sua habilidade é um dos fatores que levam à procura por um sócio. O ideal é se complementar e não competirem entre si.
  • Escolha alguém que pode investir no negócio
    Se a pessoa escolhida não tiver recursos para investir, mas tiver conhecimento na área de atuação da empresa, o melhor é que ele trabalhe como consultor, ou seja, contratado como funcionário em um cargo de confiança.
  • Não tenha um sócio para "trocar ideia"
    Para isto, é mais fácil contratar um consultor ou um profissional especializado. Você precisa de alguém que lhe ajude a gerir a empresa, a compartilhar decisões, a decidir os rumos e as estratégias e, mais importante, a implantar estes planos.

E lembre-se: para ser sócio é preciso mais do que conhecimento técnico. É necessário ser empreendedor, estar disposto a correr riscos e também ter capacidade de gestão. Sem estas características, o conhecimento técnico pouco adianta.