Seu assessor financeiro pessoal
Siga o Finanças Práticas
FacebookTwitterYouTube
Finanças da Família: hora de planejar!

Finanças da Família: Hora de planejar!

Família unida planeja unida! Cultive o hábito de definir objetivos com seus familiares, ouvindo suas ideias, de forma a envolvê-los no orçamento doméstico. Filhos podem participar! Pensando juntos, vocês ganham motivação extra para realizar sonhos. Confira:

promo

Assista ao Fórum de Educação Financeira 2014
Assista o webcast do Fórum de Educação Financeira onde foram discutidas as necessidades de educação financeira para pessoas não-bancarizadas ou com limitada bancarização.
Assista ao webcast

Descontos no seu salário

A reação do trabalhador ao receber seu holerite é quase sempre a mesma: constatar como o valor inicial do seu salário (valor bruto) é diferente do que efetivamente entra na sua conta bancária, que é o valor líquido.

Para calcular o valor líquido, o trabalhador deve, em primeiro lugar, descontar o valor referente ao INSS e, do resultado, descontar o Imposto de Renda. Quem possui dependentes legais deve descontar, antes de calcular o IR, a quantia mensal referente ao dependente. Isso diminui um pouco o desconto do imposto de renda, já que o salário base será menor (mas o valor do dependente não é um desconto e sim um benefício para diminuir a incidência do imposto).

Outros descontos
Além do IR e do INSS, existem outros descontos que podem incidir sobre o salário do trabalhador.

Conheça alguns que você pode encontrar em seu contracheque:

Vale Refeição: é muito comum encontrar empresas que forneçam o vale refeição ao empregado, mas não há lei que obrigue tal prática, salvo existindo acordo ou convenção coletiva. Seu desconto é limitado por lei a 20% do valor entregue.

Vale Transporte: do valor entregue ao empregado, o empregador pode descontar, no máximo, 6% do salário base, se o valor entregue for maior, ou descontar o valor entregue. Exemplo: salário R$ 1.200,00, valor gasto com vale transporte R$ 140,00, valor de desconto R$ 72,00 (6% de R$ 1.200,00).

Contribuição Sindical: é devida pelo empregado a contribuição de um dia de trabalho no exercício anual de sua atividade. O desconto normalmente ocorre em março de cada ano, porém, caso não tenha sido descontada, deverá ser feita no mês seguinte à admissão.

E o FGTS?
Muita gente se questiona, ao olhar o contracheque, se o desconto referente ao FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), também sai do salário do trabalhador. A resposta é "não". O desconto do FGTS tem como base o salário do trabalhador, mas o encargo é apenas da empresa pagadora.

Importante:  Os valores utilizados para cálculos de INSS, IR e dedução para dependente são atualizados anualmente.

Para saber mais, acesse: