Educação Financeira para todos

Para a maioria das pessoas, fazer planejamento financeiro é tão somente ter um orçamento equilibrado. Quer dizer, muita gente acredita que basta apenas manter as contas em dia, evitar contrair mais dívidas (ou quitar as já existentes) e saber economizar nas compras, por exemplo.

Pronto para investir?

É claro que todas essas atitudes são importantes. Mas o planejamento financeiro vai além e contempla outra etapa: investir o dinheiro. Afinal, depois de conseguir poupá-lo, você vai querer que ela cresça, certo?

Será que você está preparado para investir?
Nem todo mundo está preparado para ser um investidor. A razão é simples: é preciso ser capaz de seguir uma estratégia clara e consistente, o que só é compatível com uma situação financeira equilibrada.

Assim, antes de pensar em investir seu dinheiro, avalie qual a sua situação financeira atual. Você possui algum tipo de controle orçamentário? Em caso afirmativo, qual a sua situação ao final do mês:

  1. você está "pendurado" e espera ansioso pelo próximo salário?
  2. consegue, com esforço, pagar todas as suas contas em dia?
  3. regularmente tem separado uma quantia para poupar?

Se você respondeu sim a uma das duas primeiras alternativas, ainda não está preparado para investir. Antes disso, é preciso elaborar uma faxina no seu orçamento, de forma a equilibrar a sua situação financeira. 

Dívidas?
Se você mal consegue chegar ao final do mês com o dinheiro que recebe, sua situação financeira exige uma atenção mais imediata. Caso esteja endividado, o ideal é que corte todos os gastos que puder, de forma a liberar recursos para o pagamento da dívida. Se possuir bens, considere a sua venda. 

Envolva a família nessa decisão. Não se isole, senão as chances de sucesso são limitadas. Dê prioridade à elaboração de uma estratégia de quitação da sua dívida o mais rápido possível. O momento ainda não é de investir, mas de zerar pendências! 

Aperto financeiro?
Caso não esteja endividado, mas faça certos malabarismos para manter os pagamentos em dia, cortar gastos não é uma opção, mas uma necessidade.

Avalie com calma para onde está indo o seu dinheiro e corte tudo o que não for essencial. Encontre uma forma de poupar, todos os meses, um percentual fixo da sua renda mensal. Seja realista: não adianta tentar economizar 10% do seu salário se, até pouco tempo, você tinha dificuldades de manter as contas em dia. Comece aos poucos, com um percentual menor, mas seja regular: poupe todos os meses.

Equilíbrio, mas nem tanto
Você pode até ter uma situação financeira um pouco mais tranquila e manter seus pagamentos em dia, mas isso não sinaliza que esteja preparado para investir.

Basta uma situação de emergência, para que o aparente controle financeiro desapareça. Neste caso, vale a pena rever seu orçamento para possíveis cortes que permitam uma poupança regular ao final de cada mês. 

A consistência é importante, pois senão você corre o risco de investir um mês, e ser forçado, por causa de uma despesa extraordinária, a sacar parte ou tudo o que conseguiu aplicar. Lembre-se: é preciso manter o dinheiro aplicado por ao menos alguns meses, se você quiser fazê-lo crescer.

Pronto para investir?

Compartilhar